Caleidoscópio

A dica literária de hoje é o livro Caleidoscópio, uma das mais de 60 obras que a autora americana, responsável por romances bem dramáticos, Danielle Steel, possui. Publicado em 1987, é o tipo de produção que faz o leitor se emocionar e se comover com a história das personagens.

No livro, as irmãs Hilary, Alexandra e Megan ficam órfãs depois de uma tragédia familiar. Sem nenhum parente próximo que possa cuidar, elas ficam sob os cuidados de Arthur, um amigo de seus pais e ele então as manda para uma tia distante, cruel e bêbada que só está interessada no dinheiro que ganhará com as meninas. Após um tempo, acaba entregando Alexandra e Megan para a adoção e as pequenas acabam sendo adotadas por casais distintos e recebendo criações diferentes. As menores crescem rodeadas de amor e a mais velha sofre diferentes tipos de abuso. Mas após 30 anos, elas se reenconram e segredos do passado são revelados.

[…] – Amo você, Axie… Amo você, Megan… Amo vocês… – Sua voz se transformou num soluço enquanto ficava ali parada no meio da rua, acenando para o carro, até que ele dobrou uma esquina e desapareceu, levando consigo toda sua vida. […]

Anúncios

O Colecionador de Memórias

“Quando se trata de lembranças, há três categorias: coisas que quero esquecer, coisas que não consigo esquecer e coisas que esqueci que havia esquecido, até me lembrar delas.”

Depois de Ps: Eu te amo e O Presente, Cecelia Ahern traz mais um romance, o livro O Colecionador de Memórias para os leitores. Nesta obra, a autora traz um assunto muitas vezes polêmico, a relação entre pai e filha, narrado na perspectiva de dois personagens, com capítulos intercalados entre eles, em primeira pessoa.

Na história, um dia Sabrina Boggs tropeça em uma coleção de bolinhas de gude que pertencia ao seu pai. Dessa maneira, ela percebe que não sabe muitas coisas sobre o homem que foi sua inspiração. Assim, ela tem 24 horas para descobrir os segredos que ele esconde. E esse dia ficará marcado para sempre.

O Colecionador de Memórias é uma jornada de redescobrimento pessoal e de autoaceitação. De reencontros, de superação e de mudanças. Não só para os personagens, mas também para os leitores.

Minha Vida (não tão) Perfeita

A autora de “Os Delírios de Consumo de Becky Bloomwood” Sophia Kinsella retorna com mais um sucesso, o livro “Minha Vida (não tão) Perfeita”, lançado em 2017. Por meio de uma linguagem leve e divertida, a autora traz uma crítica social a um problema muito recorrente na modernidade: a fixação por aparentar uma vida que não condiz com a realidade nas redes sociais.

Na história, Kattie Brenner, ou Cat como prefere ser chamada, é uma mulher de 26 anos que vive em seu glamuroso flat em Londres e tem um emprego em uma glamurosa agência de publicidade. Isso segundo o seu Instagram. Mas na realidade, mora em um pequeno cubículo extremamente apertado e seu orçamento mal dá para pagar as contas. Porém Cat é demitida de seu emprego e precisa retornar às suas origens, a fazenda onde seu pai mora.

Diferente do que possa ser imagina, em nenhum momento a autora julga as pessoas que gostam de praticar extravagâncias em suas páginas. Mas ela trabalha a aceitação e a ajudar o leitor a acreditar que pode muito além daquilo que imagina.

Tartarugas Até lá Embaixo

O autor de “A Culpa é das Estrelas”, John Green, retorna depois de 6 anos e milhões de livros vendidos, com mais um sucesso: o livro Tartarugas Até lá Embaixo. E mais uma vez, o autor mostra porque chegou para ficar. Com sua leitura fácil, que flui, a obra tem todos os requisitos de um sucesso.

Na história, Aza é uma garota de 16 anos que tem problemas de transtorno obsessivo-compulsivo e que vive diariamente uma luta para não ser consumida por seus pensamentos. Porém, os pensamentos tóxicos vivem tomando conta da garota. Há também o personagem o Davis, um garoto que está oferecendo uma recompensa para quem encontrar seu pai, que está desaparecido. Aza e sua melhor amiga decidem ir atrás do homem e é assim que os caminhos da garota e de Davis se cruzam.

Green também tem TOC. Por isso, ele consegue descrever com tanta exatidão as sensações e as situações da personagem, a ponto do leitor também conseguir senti-lás. Prepare-se para uma leitura encantadora!

Filosofia para Corajosos

A Dica de Literatura de hoje é o livro Filosofia para Corajosos, do filósofo e autor brasileiro Luiz Felipe Pondé. Nesta obra, ele instiga o leitor a entender melhor sobre um tema que, muitas vezes, é visto como chato por muitas pessoas: a filosofia.

O livro traz, por meio de uma linguagem clara e acessível, um repertório que estimula os leitores a desenvolverem seus poderes argumentativos, a questionarem muitas coisas que são impostas e a analisarem conceitos como a moralidade, o materialismo e o narcisismo. Além disso, exibe de forma simples, as ideias de grandes pensadores e filósofos da história.

Além de Filosofia para Corajosos, Luiz Felipe Pondé escreveu muitos outros livros, dentre eles estão Guia Politicamente Incorreto da Filosofia, Contra um Mundo Melhor e a Era do Ressentimento.

Isla e o Final Feliz

Após os sucessos “Anna e o beijo francês” e “Lola e o garoto da casa ao lado”, a escritora Stephanie Perkins volta com mais um sucesso: o livro Isla (pronuncia Aila) e o Final Feliz, lançado em 2015, pela editora Intrínseca.

Na história, Isla é uma garota ruiva, baixinha, muito tímida e romântica. Ela tem uma paixão platônica há três anos pelo jovem introspectivo Josh, um garoto muito talentoso que se expressa por meio dos desenhos e que ela conheceu em seu colégio em Paris. Porém os dois nunca se falaram, até que um dia eles se encontram em uma cafeteria em Nova York. A partir desse momento, uma nova amizade que futuramente pode se tornar algo mais nasce. Só que talvez não seja tão fácil quanto eles esperam.

Este é o tipo de livro leve e fofo que conquista pela história romântica e doce. É clichê, mas tem personagens que te deixam encantado e que te tiram risadas!

“Queria que Josh olhasse para mim do mesmo jeito que olha para os próprios desenhos, porque então ele veria que há algo a mais em mim além da timidez, assim como vejo que há muito mais nele além da preguiça.”

O Caso Dos Dez Negrinhos

Convidados através de cartas de conhecidos que a muito não viam para viajarem até a enigmatica Ilha do Negro, lugar que merecia destaque nas manchetes dos tablóides da época devido aos seus ilustres moradores, dez pessoas completamente desconhecidas umas das outras são recebidas em uma mansão aconchegante em uma bela praia afastada de tudo e de todos.

Depois, aos poucos, vão surgindo conexões entre elas, culminando com a descoberta de que todos de alguma forma estiveram envolvidos com crimes no passado. Mas existe na Inglaterra um canção infantil que conta a história de dez crianças, em que cada uma delas acaba morrendo de uma forma diferente. E é exatamente isso o que acontece com as dez pessoas presas na casa.

Agatha Christie apresenta no final uma solução totalmente impensável para o enigma, nos deixando boquiabertos com sua simplicidade e com a engenhosidade do assassino.