Por que Fazemos o que Fazemos?

“Por que Fazemos o que Fazemos?” é uma pergunta muito comum que em algum momento da vida nos fazemos. Este também é o título da obra de Mario Sergio Cortella, nossa Dica de Leitura de hoje. Certamente, este livro fará você refletir sobre os própositos do trabalho e como você tem lidado com suas responsabilidades.

No livro, o autor aborda um assunto muito importante na vida das pessoas: o trabalho. Importantes questionamentos, como “você consegue conciliar vida profissional e vida pessoal?”, “o foco do seu trabalho está apenas no ganho material”, “a necessidade rouba a liberdade”, “você está vivendo ou apenas sobrevivendo?”, entre outros, estão dividos em 20 capítulos que trarão respostas para essas e outras perguntas.

Mario Sergio Cortella é filósofo, escritor, educador, professor universitário, palestrante e tem vários livros publicados, como “pensatas pedagógicas”, “Não nascemos prontos”, “ética e vergonha na cara”, entre outros.

Anúncios

Jogador nº 1

O livro Jogador nº 1, do autor Enerst Cline, aborda a temática Geek e gamer e traz muitas referências sobre este mundo, que promete atrair público de diversas gerações, como os anos 80, 90 e 2000.

A obra traz cinco estranhos que compartilham uma situação em comum: um caça ao tesouro. As pistas que serão encontradas definirão o destino da humanidade. Neste cenário, as pessoas desistiram de viver a vida real para viver em uma plataforma de nome Oasis. Neste mundo, o criador do programa deixa as pistas e aquele que encontrá-las, herdará uma fortuna. O jovem Wade Watts encontrou a primeira pista e conseguiu sair da miséria que vivia, mas ao mesmo tempo, ele agora tem a impressão de que o mundo inteiro acompanha seus passos, tanto as pessoas boas, quanto pessoas más.

Além da história bem construída e das referências que cativam os leitores, Enerst também traz uma crítica que deve ser levada em conta. As pessoas vivem muito dentro do mundo virtual e acabam se esquecendo do mundo real. E nada pode substituir o olhar nos olhos.

Gilberto Alves Braga

Todo Amor é o nome do novo livro de poesias e crônicas do associado Gilberto Alves Braga. Os textos que compõem a obra são baseados nas vivências do autor, em suas viagens, nas pessoas de seu convívio e em suas experiências. Escrevendo as poesias e crônicas deste livro desde 2014, a intenção do autor é transmitir ideias e sentimentos por meio de suas palavras.

Mas seu amor pela leitura e pela escrita estão presentes na vida do autor desde 1974. O hobby se tornou sua função desde sua aposentadoria. Seus primeiros textos deram origem ao livro “Na falta…uma gota”.

“É a forma que eu encontrei de trazer sentimentos como carinho, amor, paz e, principalmente, justiça para o cotidiano das pessoas”, relatou.

Gilberto é associado desde 1985 e gosta de frequentar todas as unidades do Satélite. Quando seus filhos eram pequenos, todas as férias da família eram passadas na unidade de Itanhaém. Agora que está aposentado, gosta de frequentar com a esposa a unidade de Campos do Jordão e a unidade do Pantanal, onde pode praticar a pesca.

O Pequeno Príncipe

O livro O Pequeno Príncipe é um dos livros mais famosos do mundo inteiro. Sua história cativa pessoas de todas as idades, em diferentes países e já foi trazido em cerca de 80 línguas distintas. Mas o que esse livro tem demais? Ele faz o leitor querer resgatar os sentimentos e sonhos da infância. E nada melhor do que vivenciar novamente a pureza das crianças.

Após o seu avião sofrer uma pane, um piloto faz um pouso de emergência e ele precisa o consertar. Sem outras alternativas, ele acaba adormecendo nas areias do deserto do Saara. Quando ele acorda, se depara com um garoto que lhe pede para desenhar um carneiro. Quando o piloto desenha, o carneiro se torna realidade. Assim, o homem conhece o Pequeno Príncipe. O garoto, então, lhe conta sua história de vida.

A obra foi escrita pelo francês Antoine de Saint-Exupéry, que faleceu no ano de 1944. Antoine era escritor, ilustrador e piloto.

A Menina do Narizinho Arrebitado

O livro A Menina do Narizinho Arrebitado é um livro de literatura infantil escrito pelo renomado autor brasileiro Monteiro Lobato em 1920. Esta foi a primeira obra de Monteiro. Além disso, é onde ele apresenta as tão famosas personagens Emília e Narizinho.

Na história, o autor conta sobre duas senhoras, dona Benta e tia Anastácia, que vivem em um sítio chamado “Sítio do Picapau Amarelo” junto com uma boneca que ganhou vida, a Emília, e a menina Narizinho, que adora brincar com seu primo Pedrinho. Emília, Narizinho e Pedrinho vivem diversas aventuras.

José Bento Renato Monteiro Lobato nasceu em Taubaté, no dia 18 de abril de 1882 e faleceu no dia 4 de julho de 1948. Ele ficou conhecido por suas obras educativas, que fizeram parte da infância de muita gente!

Amor Líquido – sobre a fragilidade dos laços humanos

Enquanto vive, o amor paira à beira do malogro. Dissolve seu passado à medida que prossegue. Não deixa trincheiras onde possa buscar abrigo em caso de emergência. E não sabe o que está pela frente e o que o futuro pode trazer. Nunca terá confiança suficiente para dispersar as nuvens e abafar a ansiedade. O amor é uma hipoteca baseada num futuro incerto e inescrutável”

O livro trata das relações frias, não só no amor, mas também em outros aspectos vividos pela sociedade nos dias atuais. Vivemos em um mundo onde as informações chegam em questão de segundos e, na maioria das vezes, são intermediadas pela tecnologia. Com os relacionamentos, sejam eles de amizade, de amor ou de trabalho, as pessoas têm esperado o mesmo; imediatistas e intermediadas pela tecnologia.

O autor utiliza muito o exemplo das relações virtuais. Elas tendem a separar os próximos e aproximar os distantes. E caso não dê certo, é simples, basta clicar o botão de deletar.

Amor Líquido é de autoria do sociólogo polaco Zigmunt Baumam. O autor, de 90 anos, trata de assuntos como insegurança, flexibilidade nas relações e a conexão sem vínculos profundos cada vez mais comuns na sociedade e propõe ao leitor refletir sobre suas relações pessoais.

Roberto Cavenatti

Roberto 2O associado Roberto Cavenatti, nascido em Bragança Paulista, é um poeta desde criança. Aos 14 anos, já escrevia poemas que encantavam a todos. Mas, ao longo do tempo, pelas obrigações da vida, teve que deixar sua paixão de lado.

Após se aposentar, Roberto decidiu resgatar os poemas escritos na infância e publicar seu primeiro livro individual, que leva o nome de “Chão de Tempo”. Em 2015, seu segundo livro individual foi lançado com o nome de “Andejo”. Esse último, foi condecorado pela Câmara de São Paulo como o Melhor Livro de 2015 na categoria Escritores Amadores e selecionado pela Biblioteca Nacional como um dos concorrentes ao Melhores do Ano.

O poeta já teve o privilégio de conhecer o renomado escritor brasileiro e homenageado da Biblioteca de Itanhaém, Paulo Bonfim, e lhe entregar seu livro. Quando questionado sobre suas inspirações, Cavenatti diz que, ao contrário de muitos escritores, começa sua poesia a partir do título: “Para mim, o título é a poesia. Eu coloco o título e no decorrer da poesia é que eu vou explicar a minha perspectiva”, contou.

Vale a pena conferir, aproveite para prestigiar o lançamento do livro Andejo.

Data: 19 de dezembro

Horário: 15h

Local: Salão Social do Círculo – Rua José Zappi, 255 – Vila Prudente.