Admirável Mundo Novo

A obra Admirável Mundo Novo, escrita pelo inglês Aldous Huxley, é a nossa dica literária de hoje. No mesmo estilo de 1984, de Orwell, a história prende o leitor e o enche de questionamentos desde a primeira página. Além disso, é mostrado uma realidade que, de início, parece distante, mas que com o tempo se torna bem parecida com a nossa.

Logo no início do livro, o autor apresenta ao leitor um mundo onde as pessoas são condicionadas a, tanto biologicamente, quanto psicologicamente, viverem de acordo com as leis e normas sociais do momento. As pessoas são divididas por castas, que determinam sua classe social. A felicidade é sentida por meio do uso de uma droga chamada Soma e qualquer tipo de atitude que cause emoções intensas é extinta.

Mas toda regra tem sua exceção e é nesse contexto que surge Bernard Marx, pertencente a casta Alfa Mais. Ele se apaixona por Lenina, que pertence a casta Beta Mais, e juntos, passam a contrariar as regras da sociedade com o objetivo de serem vistos como heróis e a coagirem as pessoas a questionarem seus modos de vida.

O livro possui várias alusões a figuras públicas famosas, dentre elas, Henry Ford, que é representado por uma figura messiânica no livro. Freud também é lembrado por seus estudos sobre a psicanálise.

Este é o tipo de obra que nunca deixa de ser atual e que vale muito a pena ser lida.

Anúncios

A Insustentável Leveza do Ser

a-insustentc3a1vel-leveza-do-ser

O livro A Insustentável Leveza do Ser foi escrito em 1984 pelo autor tcheco Milan Kundera. Em 1988, a obra foi adaptada para o cinema sob o título The Unbearable Lightness of Being, do diretor Philip Kaufman.

A história começa em Praga e em Zurique no ano de 1968, passando por algumas décadas e envolve quatro pessoas em suas relações amorosas: Tomás, Teresa, Sabina e Franz.

Tomás é um homem livre, bonito, jovem e médico que não possui dificuldade em se aventurar amorosamente, mas não se apega a ninguém. Ele, ocasionalmente, se encontra com Sabina para fazer amor, mas sem apegos emocionais. Até que Tomás conhece Teresa, uma moça que trabalha em um bar que ele frequenta. Ao vê-lo em meio a tantos bêbados, a garota o nota com um livro na mão e logo se encanta. O moço, então, lhe passa seu endereço, mas sem perspectiva que ela vá procurá-lo. Para surpresa dele, algum tempo depois, Teresa vai ao seu encontro e se instala em sua casa, ameaçando a sua liberdade.

O autor é conhecido pela forma como ele trata o tema amor. De característica filosófica, Milan propõe que o leitor repense suas atitudes acerca do assunto. Vale a pena conferir!


Quanto mais pesado o fardo, mais próxima da terra está a nossa vida, e mais ela é real e verdadeira. Por outro lado, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, com que ele voe, se distancie da terra, do ser terrestre, faz com que ele se torne semirreal, que seus movimentos sejam tão livres quanto insignificantes. Então, o que escolher? O peso ou a leveza?”

1984

O livro 1984, de George Orwell, foi escrito em 1948 e publicado em 1949 e denunciou por meio da ficção, problemas reais como o nazifascismo, o totalitarismo, a tortura e a invasão da privacidade.

Depois de uma Guerra análoga a Segunda Guerra Mundial, porém com mais explosões atômicas, o mundo se dividiu em apenas três continentes. A história se passa no continente fictício Oceania, que envolve a ex-Inglaterra, as ex-américas, ex-austrália e Nova Zelândia e parte da áfrica, cujo domínio é exercido pelo Grande Irmão, o qual tem imagens espalhadas pela cidade com a frase “O Grande irmão está de olho em você”.

O personagem Winston Smith é então recrutado por O´Brien e movido pela revolta contra o governo e pelo amor que sente por Júlia, aceitando fazer parte de uma conspiração para derrubar o governo. O que Winston não sabe é que não se deve confiar em ninguém e até mesmo aqueles que parecem que estão do seu lado, podem te decepcionar.

Para escrever o romance, Orwell se inspirou em personagens como Stalin, Hitler e Churchill. Foi uma maneira do autor avisar e orientar as próximas gerações sobre o perigo do autoritarismo e das guerras mundiais.

Laranja Mecânica (1962)

A maior obra-prima de Anthony Burgess ainda causa muita angústia e fascínio nos dias de hoje. Muito comparado com 1984 e Admirável Mundo Novo, Laranja Mecânica é um clássico da ficção que envolve facilmente o leitor com sua linguagem própria e temática intrigante. Nove anos mais tarde, o enredo foi adaptado para o cinema e brilhantemente dirigido pelo cineasta Stanley Kubrick.

O adolescente Alex é o chefe de uma gangue de delinquentes que praticam crimes e atos violentos para se divertirem no tempo livre. Até que, em uma de suas saídas, Alex é capturado pela polícia e condenado. Por apresentar um comportamento muito violento, o governo decide induzi-lo a um tratamento experimental que promete extinguir a maldade do sujeito para que este volte a conviver em sociedade.

Apesar de cansativo no começo, por não estar familiarizado com os neologismos criados por Burgess, a linguagem “nadsat” faz com que o leitor logo se sinta imerso naquele universo futurista e passe a vivenciar o cotidiano ultra-violento de Alex. A dualidade comportamental, tanto do adolescente, quanto da sociedade, levanta questionamentos intrínsecos do ser humano, o que faz de Laranja Mecânica, um livro essencial e atemporal.

final